Sim, você tem Talentos!

Artigos      Laboratório de Talentos • 24 Junho 2015

Pense da seguinte maneira: Você tem vários talentos. Sim, tem! mesmo que agora uma vozinha esteja te dizendo que não tem.

Você provavelmente é bom em várias coisas, mas na maior parte das vezes esquece no que é bom porque, em algum momento, alguém te disse que aquilo não levaria a nada ou porque, simplesmente, você é daqueles que acredita que ter talento é para poucos e que talento precisa ser algo notável.

O talento não é apenas daquele seu amigo que toca guitarra muito bem, ou que é craque no futebol, ou que pinta, ou que memoriza tudo.  O talento é seu, que tem um monte de caraterísticas únicas e que podem ser usadas para chegar onde deseja.

Como então descobrir os seus talentos? Se você quer se apropriar dos seus talentos, através de ajuda profissional, com uma comunidade que tem os mesmos interesses e que te ajudarão na empreitada, junte-se ao Laboratório de Talentos aqui.

Abaixo listamos alguns passos que já te ajudarão um pouco a elucidar o processo da descoberta dos talentos:

1) Descubra o que você gosta e quais as suas características principais.

Você pode ser articulado, estudioso, ter facilidade para escrever, ler, falar, desenhar, organizar, se relacionar bem com as pessoas, gostar de computadores, de cozinhar, de assistir filmes, de esportes radicais, de matemática, português, geografia ou o que você mais pensar que gosta ou pode gostar na vida.

Escreva em um papel todas as características que conseguir lembrar. E, ao longo do tempo, acrescente sempre que lembrar de alguma nova característica.

2) Separe da lista original tudo o que você faz bem.

Você conseguirá identificar o que faz bem colocando as características em ações do seu dia a dia:

Eu gosto de estudar e sei organizar o meu tempo para os estudos, por isso sempre tenho tempo para outras coisas.

Eu gosto de escrever e sempre anoto tudo o que faço, tenho diário e fico teclando com os amigos.

Seja específico sobre onde você aplica aquela característica.

Os talentos que você já possui são os que ajudarão a descobrir novos talentos e a criar habilidades para talentos que não são naturais.

3) Separe da lista original tudo o que você gosta, mas ainda não fez ou praticou.

A frase do Friedrich Nietzsche cai como uma luva nesse item: “Não basta ter-se talento: é preciso ter-se o vosso assentimento para o possuir, - não é verdade, meus amigos?”

Se eu gosto, mas não me proponho a praticar, como vou saber se é um talento e me apropriar dele?

Experimente fazer tudo o que você gosta. Faça por hobby, faça por paixão, faça por curiosidade, mas faça.

É muito melhor experimentar com o que você gosta do que ficar se lamentando futuramente fazendo o que não gosta.

3) Separe da lista original tudo o que você gosta, já praticou, mas não foi bem.

Você pode, por exemplo, adorar cantar, mas desafinar muito.

A questão é: De 0 a 10, o quanto isso é importante para você? O grau de importância determinará a sua resiliência para persistir, mesmo com o fracasso.

O maravilhoso no mundo dos talentos é que você pode desenvolver habilidades. Você pode, com prática, se tornar um(a) exímio(a) cantor(a). Basta decidir quanto do seu tempo você se dedicará ao talento que quer desenvolver.

4) Programe-se para treinar os seus talentos

Faça uma programação para você usar os seus talentos. Você precisa desenvolvê-los com consciência. Precisa ter um tempo para aprender novos, para praticar os antigos e para aperfeiçoá-los. Nenhum talento, ainda que nato, resiste a indisciplina.

Aproprie-se do seu talento e boa sorte!