Super Conectados - A goleada das tecnologias sobre os nossos filhos

O Poder dos Pais      Jacqueline Vilela • 07 Novembro 2016

 
 
Um estudo recente da Common Sense Media com 1.300 pais e filhos descobriu que 59% dos pais pensam que seus adolescentes s√£o viciados em dispositivos m√≥veis. Enquanto isso, 50% dos adolescentes sentem o mesmo. 
 
"N√£o √© t√£o √≥bvio quanto o v√≠cio de subst√Ęncia, mas √© muito, muito real", disse Alex, um rapaz de 22 anos, assumidamente viciado em tecnologias.
 
Os pais de Alex, disse ele, sempre o incentivaram a usar a tecnologia, sem perceber o dano que poderia causar. Eles estavam apenas tentando criar seu filho em um mundo inundado de tecnologia que n√£o existia quando eles tinham a idade dele.
 
Por não ser óbvio, os pais continuam insistindo em alegar que sabem lidar com a situação, quando na verdade não sabem.
Por n√£o ser nada √≥bvio, os pais s√≥ percebem que o filho precisa de ajuda quando o assunto j√° comprometeu seriamente a sa√ļde, os estudos e a vida social. 

O assunto está tão sério que o Departamento de Adolescência da Sociedade Brasileira de Pediatria lançou uma cartilha para orientar Pais, Professores e Pediatras, que você pode ler na íntegra aqui.
 
√Č sobre ela que vamos falar hoje. Ent√£o se voc√™ n√£o quiser ler a cartilha na √≠ntegra, pelo menos leia esse artigo at√© o final porque eu vou comentar trechos importantes, que est√£o destacados de vermelho logo abaixo. Posso contar com voc√™?
 
Crianças e adolescentes fazem parte da geração digital e usam os dispositivos, aplicativos, videogames e a Internet cada vez mais em idades precoces e em todos os lugares. Alguns dos pais, também são nativos digitais e não percebem as mudanças ou problemas que vão surgindo, como se tudo já fosse parte da rotina familiar.
 
Somos uma geração de cobaia, essa é a verdade. Como pais estamos lidando pela primeira vez com o uso tão intenso e como não temos essa experiência, em um primeiro momento acreditamos que liberar tecnologias faria nossos filhos mais inteligentes.
 
Claro que existem vantagens, como o acesso a informação, o uso pedagógico, etc. Mas em excesso prejudica muito o desenvolvimento do seu filho.
 
E que bom que você está aqui, lendo esse texto e fazendo parte de um grupo extremamente pequeno de pais que buscam a consciência e a informação para proteger os filhos da forma certa. Saber COMO te dá uma enorme vantagem para o sucesso da educação tecnológica.
 
 
 
Uma nova Lei 12.965 de 2014 ‚Äď o Marco Civil da Internet em seu artigo 29¬ļ - explicita a necessidade do controle e vigil√Ęncia parental e a educa√ß√£o digital como formas de prote√ß√£o frente √†s mudan√ßas tecnol√≥gicas, em especial sobre os impactos provocados nas fam√≠lias e, especificamente, nas rotinas e viv√™ncias das crian√ßas e dos adolescentes. Por√©m, tanto os pais como os educadores nas escolas precisam aprender como exercer esta media√ß√£o e serem alertados sobre os riscos e os limites necess√°rios para assumirem esta responsabilidade. Al√©m disso, as crian√ßas e adolescentes devem ser informados das necessidades de h√°bitos saud√°veis de modo sistem√°tico
 
 
Teoria ok, mas e na prática, como fazer isso? Como aprender a exercer a mediação e informar o filho de modo que ele aceite?
 
Para voc√™, √© f√°cil, dif√≠cil? 
 
Se voc√™ acha que √© f√°cil eu vou te dizer que tem alguma coisa a√≠ que voc√™ n√£o est√° vendo, porque n√£o √©. Eu que pesquiso, me informo e tenho um programa espec√≠fico chamado Detox Digital, n√£o fico dizendo por a√≠ que √© f√°cil.  
 
Se você só fica também falando que é muito difícil, também tem coisa errada aí. Isso não pode virar desculpa para não fazer nada.
 
Ent√£o vamos combinar assim: - √Č poss√≠vel, isso sim. Com informa√ß√£o e apoio √© poss√≠vel.
 
Todas as pesquisas s√£o un√Ęnimes em afirmar que os pais tem um papel determinante nesse h√°bito dos filhos e agora o manual diz tamb√©m, com todas as L-E-T-R-A-S.
 
"Os pais desempenham um papel significativo no estabelecimento de h√°bitos saud√°veis, uma vez que o uso da tecnologia √© inevit√°vel.  Eu digo a eles, voc√™ √© o traficante de drogas", disse Young, dono de uma das maiores cl√≠nicas de reabilita√ß√£o dos EUA, que cobra US$ 25.000,00 por 45 dias de desintoxica√ß√£o. 
 
 
Você pode ignorar isso ou agir sobre isso. O que você vai escolher?
 
 
O uso precoce e de longa dura√ß√£o de jogos online, redes sociais ou diversos aplicativos com fi lmes e v√≠deos na Internet, por crian√ßas e adolescentes podem causar difi culdades de socializa√ß√£o e conex√£o com outras pessoas, difi culdades escolares, a depend√™ncia ou o uso problem√°tico e interativo das m√≠dias causa problemas mentais, aumento da ansiedade, viol√™ncia, cyberbullying, transtornos de sono e alimenta√ß√£o, sedentarismo, problemas auditivos por uso de headphones, problemas visuais, problemas posturais e les√Ķes de esfor√ßo repetitivo (LER), problemas que envolvem a sexualidade, como maior vulnerabilidade ao grooming e sexting, incluindo pornografi a, acesso facilitado √†s redes de pedofi lia e explora√ß√£o sexual online,  compra e uso de drogas, pensamentos ou gestos de autoagress√£o e suic√≠dio, al√©m das ‚Äúbrincadeiras‚ÄĚ ou ‚Äúdesafi os‚ÄĚ online que podem ocasionar consequ√™ncias graves at√© coma por an√≥xia cerebral ou morte.
 
 
Tá, agora já está assuntando né? Exagero? Eu não arrisco o futuro da minha filha, por isso aqui já aplico o Detox Digital e tenho obtido resultados incríveis.
 
N√£o d√° negar que usar tecnologias sem o equil√≠brio provocam rea√ß√Ķes qu√≠micas que s√£o liberadas para o c√©rebro e que podem viciar a ponto do seu filho perder o interesse em outros passatempos ou, √†s vezes, nunca desenvolver nenhuma habilidade social no mundo real. 
 
Mas e agora? Será que meu filho é um Viciado?
 
Calma que n√£o √© assim.  "Nem tudo √© patol√≥gico; As coisas podem ser problem√°ticas, mas abaixo desse limite ", disse o diretor de pesquisa da Common Sense Media, Michael Robb.
 
"Para evitar que se torne uma doen√ßa, a partir de hoje e durante toda a forma√ß√£o dessa crian√ßa e adolescente, todos os pais devem ter conversas com seus filhos sobre o uso equilibrado da tecnologia". Ele complementa. 
 
 
8,8 milh√Ķes de crian√ßas e adolescentes que s√£o expostos aos discursos de √≥dio, intoler√Ęncia e viol√™ncia, al√©m de 20% que foram tratadas de forma ofensiva na internet, caracterizando uma das formas de cyberbullying. Nesta amostra, 21% dos adolescentes deixou de comer ou dormir por causa da internet, 17% procuraram informa√ß√Ķes sobre formas de emagrecer, 10% formas para machucar a si mesmo (self-cutting), 8% relataram formas de experimentar ou usar drogas e 7% formas de cometer suic√≠dio. Muitos outros dados merecem nossa reflex√£o, como: 77% enviam mensagens instant√Ęneas ou usam as redes sociais quando sozinhos e 61% j√° postaram fotos ou v√≠deos na Internet, 39% j√° tiveram contato com pessoas que n√£o conheciam pessoalmente e 27% encontraram com desconhecidos, na faixa et√°ria entre  15-17 anos. Al√©m disso 21% j√° terem repassado informa√ß√Ķes pessoais para outras pessoas que s√≥ tiveram contato a partir da rela√ß√£o online. Em 11% das fam√≠lias, os pais nada sabiam sobre as atividades de seus filhos e em 41% sabiam mais ou menos.

Essas estatísticas falam por si, nem precisam de comentários né?
 
Ent√£o eu vou finalizar esse post, que j√° est√° ficando longo e resumir o que essa cartilha diz:
 
1) √Č algo muito novo para n√≥s e precisamos falar sobre isso;

2) Somos nós, os pais, os responsáveis por orientar. Escolas e pediatras ajudam, mas é na família que o hábito brota e cresce;

3) Estatísticas mostram que não estamos sabendo lidar, por mais que você jure que sabe. Não fazer nada está nos empurrando ladeira abaixo.
 
 
Eu tenho pesquisado fortemente tudo o que os maiores especialistas do Brasil e do Mundo, desde psiquiatras, neurocientistas e institui√ß√Ķes que cuidam de dependentes lidam sobre o assunto. Participei de uma forma√ß√£o online dos EUA exclusiva sobre o uso das tecnologias pelas fam√≠lias, um debate real e intenso sobre como esses especialistas se posicionam e sobre como fam√≠lias obtiveram enorme sucesso no equil√≠brio.
 
Das minhas pesquisas nasceu o primeiro curso online exclusivo para pais, que ensina o passo a passo para Eliminar o Excesso de Tecnologias. Só o excesso, claro, porque usar o lado bom das tecnologias facilita muito.
 
Esse é o curso que eu uso na minha casa. Que eu uso em mim e vou te dizer com muita verdade no meu coração que enquanto eu elaborava, estudava e reunia as técnicas, eu percebi o quanto eu também precisava de um curso assim.
 
 
Ent√£o estamos todos no mesmo barco viu? Vamos cuidar para que ele n√£o afunde...
 
E se você quer conhecer mais sobre esse Programa Pioneiro, que vai te ajudar de verdade a equilibrar as tecnologias, clique na imagem abaixo ou AQUI:
 
 
Snap 2016-11-07 at 11.33.29
 
OBS: Nesta semana eu fui comer com a minha fam√≠lia em um restaurante japon√™s. Minha filha agora j√° paga (para a minha infelicidade, rs). Somos em 3 pessoas e a conta deu quase trezentos reais. Ent√£o, sim, √© um programa acess√≠vel. √Č menos do que uma refei√ß√£o em fam√≠lia, menos do que muita coisa que compramos por a√≠ e eu fico bem feliz em poder fazer um programa de qualidade, que impacta vidas de fam√≠lias inteiras e que √© financeiramente vi√°vel para voc√™. Aproveite, por tempo limitado.