7 Razões para Seu Filho Praticar Yoga

O Poder dos Pais      Jacqueline Vilela • 04 Dezembro 2016

Recentemente a ioga foi incluída nesta quinta-feira na lista de Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura). Esse já seria um argumento e tanto, mas eu quero te dar mais motivos para incentivar o seu filho adolescente a praticar.

Antes de começar eu quero te contar um pouco da minha história com essa prática: Eu demorei muito tempo para aceitar a Ioga na minha vida porque eu achava que não tinha tempo, nem paciência e nem "os requisitos básicos" necessários para um praticante, que incluiam ser calmo, sereno, desprendido de coisas e com tempo de sobra na agenda, o que eu definitivamente não tinha.

Estou contando essa minha crença porque eu sei que o seu filho adolescente pode se identificar e achar que a ioga é uma prática "nada a ver" para esse momento da vida dele, que é de pura energia, pura zoação, pura descoberta, puro agito.

"Yoga é como música. O ritmo do corpo, a melodia da mente e a harmonia da alma criam a sinfonia da vida. "B.K.S. Iyengar

Eu costumo quebrar esse argumento dizendo para eles que é justamente o contrário: ioga é o poder. Eu peço para eles imaginarem que é como um importante aliado nesse período, uma arma secreta que pode ser usada quando eles precisarem.

Explicando melhor: Na adolescência o cérebro continua a se desenvolver justamente na parte responsável por planejar, concentrar, organizar e regular o humor. 

Praticar ioga durante este tempo pode ajudar os adolescentes a cultivar "funções executivas" ou as habilidades importantes de criatividade, flexibilidade, auto-controle e disciplina.

Tá, deixa eu simplificar: Ioga deixa os adolescentes super atentos, mais conscientes do corpo e de si mesmos, ajuda na postura, na respiração e melhora os níveis de ansiedade e estresse.

 

Ok, com essa introdução você já está preparada(o) para as 7 principais razões para convencer o seu filho adolescente a praticar Ioga:

1. Melhora o condicionamento físico e a saúde.

Os estudantes que participam desenvolvem uma conexão forte à consciência e ao movimento do corpo. As poses ajudam a melhorar a coordenação, equilíbrio, força e flexibilidade.

2. Reduz o estresse e a ansiedade.

O ensino médio pode ser um período estressante com desafios acadêmicos e pessoais. Através da respiração e conscientização, fornece espaço para recuar e regular sua resposta ao estresse de uma maneira calma e pensativa.

3. Melhora o otimismo.

Estudos têm mostrado que a ioga pode ajudar a construir um senso de otimismo. Durante um tempo quando as crianças e adolescentes estão praticando, constroí-se um sentido de esperança para o futuro.

 

4. Melhora o foco e o desempenho escolar

A prática melhora o foco e a concentração, além de trabalhar com a ansiedade do jovem. Isso trás mais espaço para os estudos e mais tranquilidade para fazer as atividades propostas.

Estudos mostram inclusive que a prática em crianças com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade melhoram o comportamento, bem como o desempenho escolar.

5. Melhora a auto-estima e a imagem corporal

O ensino médio é uma época em que os adolescentes muitas vezes lutam com problemas de imagem corporal, pressão de colegas e bullying. A Ioga cria um ambiente de aceitação e segurança, enraizado no princípio do não-julgamento. A prática ajuda o adolescente a se sentir mais conectado e aceitando seu corpo.

6. Incentiva a criatividade

Ioga pode ser divertida porque incentiva a criatividade e brincadeira, desenvolvendo não apenas a flexibilidade física, mas a flexibilidade da mente também.

7. Desenvolve a disciplina e auto-regulação

Ioga reduz a impulsividade, aumenta a paciência e melhora a capacidade de regular a atenção.

Combinar Ioga com mindfulness fornece o adolescente porque dá habilidades para ele navegar nos desafios e construir uma base de núcleo que beneficia tanto a mente e o corpo.

 

 Ah Jacqueline, mas ele não tem tempo! Estuda muito e tem aulas extras.. Pensou nisso? Pois é, então eu vou colocar aqui o oitavo elemento: Pode ser 5 minutos por dia!

Sim, tem práticas rápidas e super eficientes. Sério, 5 minutos por dia que economizam tempo para o adolescente porque vai deixá-lo mais preparado para enfrentar os desafios.

E para finalizar eu quero contar o final da minha história. Depois de lutar muito eu resolvi colocar a ioga na minha vida e me surpreendo todos os dias com o resultado. Sem exageros, a prática multiplica o meu tempo porque me deixa mais produtiva, mais focada e relaxada. 

Muitas mães me perguntam quem eu indico para as práticas, então vamos lá:

Para crianças:  Recentemente eu adquiri para a minha filha de 8 anos o Programa Criança Medita, da Camila Fernandes e estou amando. Minha filha ama praticar e me pede todos os dias! A preferida dela é a Meditação O duende e o arco íris. Para a minha surpresa, na semana passada (semana de provas) ela veio me falando: Mãe, coloca uma meditação porque eu preciso respirar para me acalmar. Esse é o poder! 

menina

Para adolescentes: Em Julho deste ano eu finalmente encontrei a Juliana Cabral, que tem uma página no Face chamada YoungYoga e que é exclusiva para adolescentes. A Juliana fez toda a sua formação e mestrado em Harvard (que é o berço das pesquisas) e trabalhou nos EUA com adolescentes delinquentes e de alto risco, usando a ioga para melhorar a agressividade deles. Não é lindo?  Além disso a própria Juliana tem uma história de adolescência difícil e de rebeldia, sofreu bullying e tinha autoestima super baixa, por isso ela cria uma conexão instantânea com o adolescente porque sabe o que ele está passando.

E em Outubro deste ano ela lançou o Programa YoungYoga, exclusivo para o público adolescente. Esse programa contém práticas para ansiedade, raiva, medo, estresse, autoestima, estudos e muitas outras. São 26 séries de exercícios e meditações, curtos e potentes.

o-MEDITATION-CLASS-facebook

 É isso! Espero que você possa experimentar inserir a ioga na vida do seu filho e ver, assim como eu, a transformação acontecer.

Com amor,

Jacqueline