O Poder do exemplo

Quero ajudar meu filho      Laboratório de Talentos • 22 Junho 2015


Certo dia um amigo meu me contou, indignado, que pegou o seu filho de 11 anos na área comum do prédio com uma garrafa de vinho, que comprou junto com amigos, para experimentar. Ele estava com os olhos de terror, realmente furioso.

Eu, calmamente, disse ao meu querido amigo que o filho dele só estava reproduzindo aquilo que ele viu a vida inteira: Festas intermináveis, bagunças até a madrugada e um monte de amigos bêbados se abraçando e chorando no final da festa.

O meu amigo demorou para entender o que eu quis dizer. Porque, para ele, exemplo negativo são pais com problemas de alcoolismo, o que definitivamente não era (para ele) o caso.

Lição número 1: Nenhuma construção começa pelo telhado.

Por um engano grave, os pais acham que os filhos passarão ilesos aos seus vexames e bebedeiras, aos seus gritos e ataques de raiva, as brigas, as falhas na comunicação no que se refere a educação dos filhos.

Não raro também eu escuto pais falando que os filhos estão engordando. Mas esses mesmos pais estão fora do peso, não praticam exercícios físicos, embora obriguem o filho a fazer natação, futebol, judô ou qualquer outra atividade.

A incoerência na educação dos filhos gera, desde cedo, problemas. Primeiro porque os pais são os exemplos para os filhos, são os orientadores, o pilar de sustentação.

E segundo porque quando essa figura, que deveria ser exemplo, diz para fazer algo, mas faz outro, o filho vai perdendo a confiança e tende a procurar modelos externos ou a modelar o comportamento inadequado dos pais (como no caso do meu amigo no começo do artigo).

Lição número 2: Seu exemplo fala mais alto do que as suas palavras.

Na porta das escolas infantis eu canso de ver pais falando para os filhos que vão apenas ali e já voltam, quando na verdade eles vão para casa, ficarão várias horas e só voltarão bem depois. Tudo isso para evitar o escândalo.

Quando a criança vai tomar injeção ou ao médico, os pais geralmente tentam amenizar dizendo que não vai doer. Quando dói, a criança se sente desamparada e os pais, novamente para “acalmar”, falam a famosa frase: Já passou, já passou, pronto!

A confiança é a base desde sempre em qualquer relacionamento. E não importa a idade que o seu filho tenha, mentir nunca é a melhor opção.

Todas as vezes que a minha filha me perguntou se doía uma injeção eu disse que sim. Se podia doer algum procedimento? Sim, pode, mas eu estarei do seu lado, segurando a sua mão. Hoje ela tem 06 anos e eu continuo segurando a sua mão, na dentista, no médico, nas vacinas. Ela sabe que pode doer, mas sabe que eu estarei lá.

Mamãe, você está triste? Sim filha, estou. Mas já vai passar. Acredite, o seu filho saber que os pais também ficam tristes é saudável!

Lição número 2: A estratégia baseada na verdade é sempre poderosa.

O Laboratório de Talentos tem, em parceria com o Espaço Integrayus, um projeto lindíssimo que se chama AFLORAR. Nós vimos a necessidade dos pais se curarem, para conseguirem curar os seus filhos.

É já na semente, ou no broto, que o jardineiro prudente cuida e prepara o fruto que virá. Se esse fruto é doente, é porque a própria árvore que o gerou estava enferma e degenerada. Não é do fruto que se deve tratar, mas da vida que o produziu. O fruto será o que fizerem dele o solo, a raiz, o ar e a folha. Deles é que deveremos cuidar, se quisermos enriquecer e garantir a colheita.

Uma das molas propulsoras da minha reviravolta profissional e da minha vida foi a minha filha. Eu tenho a certeza de que, uma vez pais, nunca mais voltamos a ser os mesmos.

Eu entendi, no momento que me descobri grávida, que eu não podia levar a minha filha por caminhos que eu mesma não tive coragem de ir.

Eu mudei hábitos, rotinas, valores e prioridades. Para que ela crescesse dentro de um ambiente fértil. Requer esforço, disciplina e amor, muito amor. Mas vale cada minuto.

Se você quer, verdadeiramente, fazer a diferença na vida do seu filho, comece sendo a diferença na sua vida.    

O exemplo é, sem dúvida, o melhor caminho.

Como complemento ao texto, aconselhamos a ler sobre Gandhi, na aba Inspirações. Clique aqui.

Reflita sobre a mensagem e boa sorte!


Quer ajuda? O Laboratório de talentos pode te ajudar a reforçar o alicerce. Clique aqui e saiba mais.